As diferenças entre implantação e treinamento de software
8 de agosto de 2016 No Comments Sistemas Nerisson Leonhart

Assim como a cultura de um povo sofre alterações e influências com o passar do tempo, algumas palavras e expressões também ganham novo sentido no mundo tecnológico. Focando em software, a palavra treinamento parece ter agregado a si a função de implantação. Mas será que é por aí?

Se você já foi, ou é cliente de software, talvez não consiga diferenciar essas duas etapas, mas possivelmente já ouviu falar sobre esses dois termos. Se, por outro lado, você for fornecedor, não só já ouviu, como fala e usa esses termos constantemente, não é mesmo? Mas afinal, qual a diferença entre o treinamento e implantação de software? Acompanhe o post de hoje e descubra mais sobre esses importantes processos.

O que pode ser considerado um treinamento de software?

Lembre-se do último software adquirido, independentemente se você foi o consumidor ou fornecedor: como foi o processo durante e após a entrega?

Se foi mais difícil do que você esperava, é muito provável que tenha ocorrido apenas o treinamento, que, na verdade, acaba sendo ¼ da implantação.

Considere softwares que alteram o modo de trabalho da sua empresa. É impossível adquirir um sistema ERP, GED, ECM sem alterar a rotina de trabalho dos colaboradores, mas é possível treinar uma equipe sem executar uma implantação. E este é o problema.

Se você já passou por isso, deve recordar de algum treinamento em que aprendeu a lançar cadastros, de exemplos genéricos e de uma dificuldade absurda de montar o ambiente final. Contudo, treinar uma equipe não é difícil, uma pessoa com bom conhecimento no software e que saiba transmiti-los é capaz de orientar os funcionários.

Fornecedor: como garantir a qualidade nos treinamentos para implementar um software?

Analisar e entender o ambiente onde será implantado, adaptar esta realidade ao software e testar: este é o segredo! Invista tempo nas duas primeiras etapas da implantação e o treinamento será muito mais proveitoso, as pessoas irão entender o propósito do software e antecipar possíveis problemas que você ainda não tinha previsto.

Esqueça exemplos genéricos em treinamentos, e isso você só conseguirá se entender a realidade de onde irá aplicar o software!

Implantação de software divide responsabilidades

A implantação é realizada em conjunto, e tanto fornecedor, quanto consumidor final, tem 50% da responsabilidade para que o processo seja concluído com sucesso.

A meta do cliente é o conhecimento da sua empresa, fundamental para montar um ambiente realista e fácil de trabalhar. E o conselho aqui é: investir o tempo estudando o software, virando-o de cabeça para baixo!

Lembre-se que por traz da implantação de uma solução há um investimento, e errar nessa etapa é torná-lo um custo.

Para os fornecedores, a meta é o conhecimento do software, o que lhes dá autoridade para evitar erros de projeto que o cliente comete por desconhecer a solução a fundo. Omitir-se no planejamento é criar um pequeno monstro, que vai gerar consequências que poderiam ter sido evitadas.

Portanto, para fornecedores e clientes,  adicionar um sistema complexo apenas treinando usuários certamente não trará os resultados esperados com a solução.

Portanto, se você está passando por isso na sua empresa, pare imediatamente e recomece no planejamento. É melhor voltar no processo do que pular etapas essenciais para que a implantação do software seja, verdadeiramente, um sucesso.

E na sua empresa, como foi a última experiência de treinamento e implantação de software? Ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente pelos comentários. 

 

Palavras-chave

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *